• 02 MAR 15
    A Otorhinus realiza Processamento (Auditivo Central) – PAC

    A Otorhinus realiza Processamento (Auditivo Central) – PAC

    É o conjunto de habilidades auditivas necessárias para que o indivíduo compreenda a mensagem. É a interpretação que o cérebro faz do som ouvido.

    Os processamentos auditivos centrais, são processos que necessitam de um bom funcionamento das estruturas do sistema nervoso central. Um simples distúrbio leva a criança a não conseguir interpretar o som, já que essa interpretação depende das habilidades auditivas organizadas e estruturadas. Estas etapas são: detecção do som, discriminação do som, reconhecimento, localização da fonte sonora e compreensão do som. Todos ligados às funções cerebrais, como: atenção e memória.

     

    Muitas vezes a criança apresenta tais dificuldades, não por “burrice” ou “falta de interesse para com as coisas ou pessoas”, mas sim por apresentar um distúrbio chamado de alteração do processamento auditivo central.

    Distúrbio do processamento auditivo central é diferente de surdez

    Quem deve fazer esse exame ?

    É indicado para crianças ou adultos que apresentam dificuldades de:

    • Aprendizagem,
    • Dispersão,
    • Comunicação Oral e/ou Escrita,
    • Compreensão em Ambientes Ruidosos.
    • Problemas de produção de fala envolvendo os sons /r/ e /l/;
    • Compreensão do que lê;
    • Concentração nas atividades ou no trabalho;
    • Linguagem escrita (trocas, omissões e inversões) e de orientação direita e esquerda(escrita em espelho);
    • Atenção ao som.

    Há também outros fatores considerados de risco para desordem do PAC.

    São eles:

    • Perda auditiva nos primeiros anos de vida;
    • Otites de repetição;
    • Enxaqueca;
    • Distúrbio do Sono.

     

    COMO É O EXAME ?

    A avaliação do PAC é realizada com crianças a partir dos 4 anos de idade e irá permitir analisar e diagnosticar como o cérebro está interpretando a mensagem recebida.

    Avalia-se a audição periférica e alguns testes avaliam a função auditiva central É totalmente indolor, depende da colaboração do paciente e é realizado dentro da cabina acústica com fones de ouvido. O paciente escutará estímulos verbais e não verbais com distorção. Ele precisará ouvir e produzir oralmente ou apontar uma figura ou palavra escrita para produzir a resposta sensorial envolvida.

    A avaliação do PAC deve ser posterior à audiometria completa (audiometria tonal + audiometria vocal + impedânciometria) e recente (menos de três meses).

    Após a realização do PAC, se for constatada disfunção, a terapia fonoaudiológica é diferenciada de acordo com o caso. Consiste em estimulação da consciência fonológica com apoio da leitura; análise e síntese fonêmica; compreensão de linguagem e memória sequencial para sons verbais e não verbais.